Cirurgia

artroscopia é um procedimento cirúrgico pelo qual a estrutura interna de uma articulação é examinada para diagnóstico e/ou tratamento usando um instrumento de visualização tipo tubo chamado artroscópio. A artroscopia foi popularizada na década de 1960 com o advento das tecnologias de fibra óptica e agora é comum em todo o mundo. Normalmente, é realizada por cirurgiões ortopédicos em regime ambulatorial. Quando realizados no ambulatório, os pacientes geralmente podem voltar para casa no mesmo dia em que o procedimento é concluído.

artroscopia do hoelho

A técnica da artroscopia envolve a inserção do artroscópio, um pequeno tubo que contém fibras e lentes ópticas, através de pequenas incisões na pele na articulação a ser examinada. O artroscópio é conectado a uma câmera de vídeo e o interior da articulação é visto em um monitor de televisão. O tamanho do artroscópio varia com o tamanho da articulação que está sendo examinada. Por exemplo, o joelho é examinado com um artroscópio com aproximadamente 5 milímetros de diâmetro. Existem artroscópios de 0,5 mm de diâmetro para examinar pequenas articulações, como o punho.

Se forem realizados procedimentos além de examinar a articulação com o artroscópio, isso é chamado de cirurgia artroscópica. Existem vários procedimentos que são feitos dessa maneira. Se um procedimento pode ser realizado artroscopicamente, em vez de por técnicas cirúrgicas tradicionais, geralmente causa menos trauma tecidual, pode resultar em menos dor e promover uma recuperação mais rápida.

Como é realizada a artroscopia?

artroscopia é mais frequentemente realizada como procedimento ambulatorial. O paciente verificará na instalação onde o procedimento está sendo realizado e uma linha intravenosa estabelecida para administrar fluidos e medicamentos para anestesia. O tipo de anestesia utilizada varia de acordo com a articulação que está sendo examinada e a saúde médica do paciente. A artroscopia pode ser realizada sob anestesia geral, anestesia raquidiana ou peridural, bloqueio regional (onde apenas a extremidade examinada está entorpecida) ou mesmo anestésico local. Se um anestésico geral não for utilizado, o paciente geralmente é sedado. Após anestesia adequada, o procedimento pode começar. É feita uma incisão no lado da articulação a ser examinada e o artroscópio é inserido na incisão. Às vezes, outros instrumentos são colocados em outra incisão para ajudar a manobrar certas estruturas na visão do artroscópio. Na cirurgia artroscópica, instrumentos adicionais para reparos cirúrgicos são inseridos na articulação através de pequenas incisões adicionais na articulação. Esses instrumentos podem ser usados ​​para cortar, remover e suturar (costurar) tecidos danificados. Após a conclusão do procedimento, o artroscópio é removido e as incisões são suturadas, fechadas. Um curativo estéril é colocado sobre a incisão e uma cinta ou envoltório ACE pode ser colocado ao redor da articulação. Após a conclusão do procedimento, o artroscópio é removido e as incisões são suturadas, fechadas. Um curativo estéril é colocado sobre a incisão e uma cinta ou envoltório ACE pode ser colocado ao redor da articulação. Após a conclusão do procedimento, o artroscópio é removido e as incisões são suturadas, fechadas. Um curativo estéril é colocado sobre a incisão e uma cinta ou envoltório ACE pode ser colocado ao redor da articulação. Ortopedista Brasilia

Para que doenças a artroscopia é indicada?

artroscopia pode ser útil no diagnóstico e tratamento de muitos tipos de artrite não inflamatória, inflamatória e infecciosa , além de várias lesões na articulação.

artrite degenerativa não inflamatória, ou osteoartrite, pode ser vista usando o artroscópio como cartilagem desgastada e irregular. Um novo procedimento para o tratamento de pacientes mais jovens com uma lesão isolada na cartilagem que cobre as extremidades ósseas dentro de uma articulação usa uma “pasta” das células da cartilagem do próprio paciente. As células são colhidas e cultivadas em laboratório e são reimplantadas posteriormente no joelho com o uso de um artroscópio.

Na artrite inflamatória, como a artrite reumatoide, alguns pacientes com edema articular crônico isolado podem às vezes se beneficiar da remoção artroscópica do tecido articular inflamado (sinovectomia). O tecido que reveste a articulação (sinóvia) pode ser biopsiado e examinado ao microscópio para determinar a causa da inflamação e descobrir infecções, como tuberculose . A artroscopia pode fornecer mais informações em situações que não podem ser diagnosticadas simplesmente aspirando (retirando fluido com uma agulha) e analisando o fluido articular.

As lesões comuns da articulação do joelho para as quais é considerada a artroscopia incluem lesões da cartilagem (lesões do menisco), distensões e lesões ligamentares e deterioração da cartilagem sob a rótula (rótula). A artroscopia é comumente usada na avaliação de joelhos e ombros, mas também pode ser usada para examinar e tratar as condições dos quadris, punho, tornozelos, pés , coluna vertebral e cotovelos. Finalmente, tecidos soltos, como lascas de osso ou cartilagem, ou objetos estranhos, como espinhos de plantas ou agulhas, que ficam alojados dentro da articulação, podem ser removidos com artroscopia.

Facectomia – Catarata

É um procedimento cirúrgico ocular utilizado em pacientes portadores de catarata que é basicamente a extração do cristalino doente e após em seu lugar é colocado uma lente artificial. O Facoemulsificador é um moderno equipamento computadorizado que opera a facectomia através de um pequeno orifício de 2,5mm, onde a ponta da caneta do faco é introduzida no olho e emite uma energia ultra-sônica que emulsifica (liquefaz) o cristalino, removendo-o através de uma aspiração. A Facoemulsificação é de fato uma moderna cirurgia de catarata em que o olho interno da lente é emulsionado com ultra-sons da peça de mão e aspirado para fora do olho. Fluidos aspirados são substituídos por irrigação de solução salina equilibrada para manter a câmara anterior. A anestesia tópica geralmente é a que aplicam nesse procedimento, podendo variar entre a local e em procedimentos mais duradouros é aplicada nos músculos ao redor do olho, e a geral também, recomendada em casos de crianças, lesões oculares traumáticas com catarata, para animais e pacientes muito apreensivos ou não cooperativos.

olhos

Retina e Vítreo

Em primeiro lugar, é bom salientar a importância de realizar este procedimento com um profissional especialista em retina, pois se trata de uma intervenção mais complexa. Na retinopexia com introflexão escleral o oftalmologista irá suturar ao redor dos olhos uma faixa de silicone que pressione a esclera e fique posterior as roturas que geram descolamento de retina. Em alguns casos, o procedimento pode ser feito em conjunto com uma vitrectomia posterior.

Indicações: Procedimento indicado em caso de descolamento de retina.

Vitrectomia é o procedimento em que o vítreo cheio de sangue é retirado e substituído por uma solução transparente. Com a saída dos vasos anormais presentes no vítreo, a hemorragia cessa. Em casos de descolamento de retina a cirurgia também pode fazer a restituição do órgão. A cirurgia deve ser feita o quanto antes, porque a distorção macular ou descolamento da retina por tração causará perda de visão permanente. Quando mais tempo a mácula fica distorcida, mais acentuada será a perda de visão. São várias as modalidades dessa técnica cirúrgica, como a tradicional, transconjuntival, posterior e enzimática.

Indicações: A vitrectomia posterior corrige uma série de problemas da retina, tais como, descolamento de retina, retinopatia-diabética, traumas oculares, doenças oclusivas das veias, buraco de mácula e membrana epirretiniana.

Cirurgia Refrativa a Laser (Miopia, Astigmatismo, Hipermetropia)

Quem pode fazer Cirurgia a Laser?

Para a análise dos candidatos à cirurgia a laser, é necessário um exame oftalmológico completo, o qual deverá ser realizado por um especialista em cirurgia a laser. Para um ótimo resultado, é necessário o preenchimento de alguns critérios de segurança como:

  • Idade superior a 18 anos;
  • Ausência de doenças oculares;
  • Ausência de doenças sistêmicas;
  • Ausência de gravidez.

Como é feita a cirurgia a laser? É necessário internação?

A cirurgia a laser é realizada sob anestesia tópica (colírio) e leva em média 15 minutos por olho. Não é necessária internação antes ou após a cirurgia e os pacientes são liberados imediatamente após o procedimento.

Quais as chances de sucesso?

As chances de sucesso são altíssimas e a grande maioria de nossos pacientes têm suas expectativas atendidas, ficando livres de óculos.

A cirurgia a laser dói?

A cirurgia a laser é realizada somente com anestésicos tópicos (colírio) e os pacientes não sentem absolutamente nenhuma dor durante a cirurgia.

Quanto tempo após a cirurgia posso retornar ao trabalho e atividades esportivas?

Na maioria das vezes, é possível retornar ao trabalho entre 1 e 3 dias após a cirurgia. Também é possível voltar às atividades esportivas após 1 semana.

Existe algum risco?

Quando a cirurgia é bem-indicada, de acordo com o caso do paciente, e realizada com equipamentos de última geração e por profissionais preparados para o procedimento, as chances de complicações são mínimas.

Quais as diferentes técnicas da cirurgia a laser?

Diferentes técnicas de cirurgia a laser podem ser empregadas para a correção visual, incluindo: Lasik, PRK, Lasek e Cirurgia a Laser Personalizada.

oftalmologista planaltina, oftalmologista brasilia

O que é?

Rinoplastia e a Rinosseptoplastia são cirurgias voltadas para a correção estética e/ou funcional do nariz. São realizadas para mudar a aparência, aumentar, diminuir, mudar a forma, ângulos, proporções e contorno nasal, associando a isso a melhora da função respiratória. A mudança proporcionada pela cirurgia pode trazer mais autoconfiança e melhorar a vida do paciente. O procedimento é feito em ambiente hospitalar e com anestesia local ou geral de acordo com a necessidade.

rinoplastia

O Procedimento é Indicado a partir de qual Idade?

A rinoplastia pode ser indicada para todas as pessoas, geralmente a partir de 15 a 16 anos, quando se atinge a forma nasal de adulto, e quando o próprio paciente já se torna capaz de compreender o procedimento, as possibilidades e expectativas da cirurgia. Pode ser realizada em pacientes mais jovens se tiver exclusivamente objetivo funcional.

O que deve ser Discutido antes do Procedimento?

A expectativa do paciente e do cirurgião devem ser discutidas e arrazoadas. A sintonia deve ser completa para que se alcance um resultado estético natural e satisfatório. É dever do médico expor ao paciente as limitações e possibilidades a serem alcançadas com a cirurgia, adequando as expectativas dos paciente à realidade do que a medicina pode oferecer, para que a satisfação após a cirurgia seja completa.

É Possível prever o Resultado?

É possível ter uma noção de como será o “novo” nariz por meio de uma simulação computadorizada 3D, mas o objetivo primário da simulação é aprimorar a comunicação entre médico e paciente, facilitar o entendimento das técnicas, possibilidades e limitações, e permitir ao paciente comunicar adequadamente ao médico os seus desejos. De qualquer forma é importante saber que o resultado final não será idêntico ao desenho virtual, o recurso apenas ajuda a deixar a expectativa do paciente mais concreta e real.

Como se preparar para a Cirurgia?

Para entrar no centro cirúrgico, é preciso estar em boas condições de saúde. Faça exames de laboratório ou avaliação médica, tome certos medicamentos ou ajuste seus medicamentos atuais, pare de fumar com bastante antecedência à cirurgia e evite tomar aspirina, anti-inflamatórios e medicamentos naturais, pois eles podem aumentar o sangramento. Essas medidas ajudam a reduzir os riscos de complicações durante e após o procedimento.

Como é realizado o procedimento cirúrgico?

A cirurgia é realizada com anestesia local e sedação ou com anestesia geral, de acordo com as necessidades individuais de cada paciente. São realizados pequenos cortes dentro do nariz e na pele da parte inferior do nariz. Com a técnica e cuidados adequados a cicatriz praticamente desaparece em alguns meses. Com o aprimoramento da técnica cirúrgica e a experiência dos cirurgiões, o uso do tampão (gaze dentro do nariz) foi abolido sem nenhuma complicação, o que proporciona muito mais conforto pós-operatório para o paciente.

Quais os Cuidados Necessários no pós-operatório?

Após a cirurgia, é preciso repouso absoluto em casa por dois dias. Inchaço, manchas roxas e desconforto nasal são inevitáveis, mas não é comum sentir dor. Por duas semanas a respiração fica mais difícil e o nariz entope com facilidade, por isso é recomendada limpeza nasal com solução fisiológica, além da aplicação de um remédio para desobstruir as narinas. O uso de óculos e atividades físicas ficam proibidos por trinta dias. Após um mês, as restrições praticamente desaparecem, mas ainda deve-se evitar o sol, com o uso de protetor solar e chapéu por cerca de 6.

Quando é possível ver o Resultado Final?

Demora um ano, em média, devido ao lento processo de cicatrização. Grande parte do inchaço some nos primeiros 90 dias, e o restante leva de seis a 12 meses para desaparecer por completo. Já os hematomas duram até duas semanas.

Há possibilidades de Retoque na Cirurgia?

Eventualmente pode ser necessário um retoque na cirurgia inicial para corrigir pequenas imperfeições, não consistindo em erro, mas em um procedimento adicional para se conseguir um resultado ainda melhor.

Como Escolher o Cirurgião?

A escolha do cirurgião deve ser feita com cuidado e atenção, para que o paciente tenha segurança e vontade de realizar o procedimento. O cirurgião deve manter as características do paciente, não mudando demais as estruturas da face. O resultado tem que ser natural e ao mesmo tempo belo.

Por que fazer a Rinoplastia com o Otorrinolaringologista?

A rinoplastia, quando realizada por otorrinolaringologistas, além da correção estética por profissionais que lidam constantemente com as estruturas nasais e, portanto, têm grande intimidade com essa região, tem a grande vantagem de poder, ainda no mesmo procedimento, associar a correção de desvios de septo nasal e, com isso, conseguir uma melhora funcional.

rinoplastia brasilia

Anestesia Local X Geral

Nas pessoas que trabalham na área médica, como enfermeiros e médicos, as pessoas estão acostumadas a doenças e intervenções médicas. Os médicos também sabem como diferenciar e avaliar as pessoas que sofrem de uma doença. É importante para eles diagnosticar e intervir adequadamente quando alguém está doente.

Nas operações corporais, os médicos usam anestesia para aliviar o paciente de dores extremas e excruciantes. Existem muitos tipos de anestesia, mas o mais comum é a anestesia local e geral. Vamos examinar as diferenças.

anestesia

A anestesia geral é um tipo de anestesia usada nas principais cirurgias do sistema corporal necessárias para deprimir todo o corpo. Há danos no uso da anestesia geral, portanto, um anestesiologista qualificado deve estar presente durante o procedimento. Existem riscos pelo fato de os órgãos principais também serem suprimidos e deprimidos durante o procedimento, como pulmões e diafragma. Portanto, um monitoramento cuidadoso deve ser implementado durante o procedimento. Exemplos de cirurgias que necessitam de anestesia geral são as principais, como transplante de coração , cirurgia cerebral, reparo de fraturas de quadril e muito mais. Os efeitos colaterais da anestesia geral também são grandes riscos, de modo que enfermeiros e médicos monitoram cuidadosamente o paciente após a operação.

A anestesia local, por outro lado, é um tipo de anestesia usada para suprimir apenas uma parte do corpo. Quando usados, outros sentidos podem não ser afetados, como consciência, audição, visão, olfato e muito mais. É usado principalmente em cirurgias menores, como procedimentos odontológicos, como extrações dentárias. Também pode ser usado na circuncisão, em aprimoramentos dermatológicos e faciais e em muitos outros procedimentos. Também é menos arriscado de usar do que a anestesia geral. Um anestesiologista não é necessário nos momentos de indução da anestesia local, porque o cirurgião pode monitorar isso sozinho.

Um anestesista ou médico que estudou medicina e treinado para anestesiar pacientes é responsável por medicar os pacientes durante esses tipos de procedimentos. Eles são responsáveis ​​por avaliar o paciente antes da cirurgia, durante a cirurgia e após a cirurgia. Com suas habilidades, operações e cirurgias fluirão suavemente junto com o cirurgião e as enfermeiras.

Ou seja:

  1. A anestesia local suprime a dor em uma parte do corpo apenas enquanto a anestesia geral envolve suprimindo a dor em todo o corpo;
  2. A anestesia local pode ser administrada pelo médico sem a ajuda de um anestesista enquanto estiver anestesia geral, um anestesista deve estar presente;
  3. Na anestesia geral, há maior risco de fatalidade em comparação à anestesia local.

anestesista brasilia, anestesista df