Sedeme apoia festival gastronômico “Brasil Sabor”

O maior festival gastronômico do País vai ter como estrela, durante um mês, não apenas Belém e sua arquitetura, paisagens, história: mas seus sabores, cheiros e cores da culinária e ingredientes locais, festejados em todo o mundo, estarão na berlinda do “Brasil Sabor”, com abertura no dia 17 de maio próximo e encerramento em 17 de junho, em vários locais da cidade e também ilhas próximas.

O “Brasil Sabor” foi apresentado na manhã desta sexta-feira, 27, ao titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Eduardo Leão, pela diretoria da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), realizadora do evento.

O tema do festival este ano é “Original do Brasil” e a versão em Belém tem o subtema “Sabor de raiz”. O lançamento, no dia 17 de maio, será no Parque do Utinga, com programação cultural e gastronômica. Nas semanas seguintes, o festival acontece nos restaurantes convidados (aproximadamente quarenta): cada um fará um prato especial para o evento, geralmente releituras de receitas tradicionais, com uso inovador dos ingredientes amazônicos.

Cada restaurante terá um totem identificando o festival e o prato especial participante. O encerramento será num grande evento de três dias (15, 16 e 17 de junho) na Marechal Hermes, entre a Estação das Docas e o Ver-o-Rio.

Será montada no local uma estrutura com dezenas de estandes, barracas, praça de alimentação, espaço para palestras e bate-papos, shows musicais e vasta opção de degustação das delícias paraenses.

Haverá duas entradas para o festival, o “Acesso Ver-o-Rio” e o “Acesso Ver-a-Doca”, com preço acessível para garantir a participação dos belenenses. Entre os espaços, se destacam: palco para carimbo; Espaço Kids; Canoa das Erveiras; Espaço Saber (para palestras e bate-papos gastronômicos); espaço Arranjo Produtivo Local (APL), entre outros.

Ilhas e sabores:

Durante a apresentação na Sedeme ao secretário Eduardo Leão, o executivo da Abrasel Walter Oliveira informou que serão convidados cerca de cinquenta chefs e donos de restaurantes de outros Estados (Rio de Janeiro e São Paulo em destaque, e com presenças confirmadas de empresários de áreas turísticas como Fernando de Noronha).

Estes convidados passarão de sete a dez dias em Belém e, na semana que antecederá os três dias finais do evento, participarão de vivências “extrativistas” na ilha do Combu, em frente a Belém: “Será montada uma cozinha, como se fosse uma cozinha ao vivo, no meio do açaizal, onde os chefs poderão, por exemplo, tirar o açaí na peconha e bater imediatamente, ao mesmo tempo que vão tirar camarões das iscas no rio ao lado e cozinhá-los e comê-los tudo fresquinho!”, informou Walter.

A vivência no Combu inclui percorrer as rotas do Açaí, do Cacau e do Ribeirinho e, na estrutura montada na Marechal Hermes, junto com as dezenas de estandes e barracas, será também montada uma casa de farinha, na qual o público em geral terá uma vivência da cultura bragantina, “ajudando a produzir” a famosa farinha lavada.

A presidente da Abrasel, seção Pará, Rosane Oliveira, destacou que a valorização dos pequenos produtores é uma prioridade do festival, daí a importância da Sedeme como parceira do “Brasil Sabor”, por meio do APL Alimentação Fora do Lar.

O secretário Eduardo Leão elogiou o evento, colocou a Sedeme à disposição do evento e da própria Abrasel, “inclusive podemos ajudar a formatar algumas realizações, garantindo espaços e parceiros”, destacou.

Também participaram da apresentação o secretário-adjunto da Sedeme, Alex Moreira, e o diretor de Indústria, Comércio e Serviços, Sérgio Menezes.

O “Brasil Sabor” em Belém é realizado pela Abrasel, com patrocínio da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Tramontina e Cerpa e apoio da Sedeme. (Texto e fotos: Ascom/Sedeme).