Pará se mobiliza para que recursos da ferrovia de Carajás não saiam do Estado

Nesta manhã de terça-feira, 14, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia do Pará, Adnan Demachki, está em Brasília reivindicando que os recursos que serão pagos pela Vale para renovação da concessão da Estrada de Ferro de Carajás sejam aplicados no Pará.

Os cofres da União estão prestes a receber uma bolada que o mercado estima em torno de 25 bilhões de reais, oriunda do pagamento de outorgas por empresas concessionárias de cinco ferrovias federais cuja concessão está em vias de expirar. Entre elas, está a Estrada de Ferro Carajás, utilizada no transporte do minério extraído pela Vale de território paraense. A mineradora pretende antecipar a renovação da concessão, pagando alguns desses bilhões de reais pela outorga, mas o destino do dinheiro ainda é incerto.

“É indiscutivelmente justo que o governo do Estado do Pará pleiteie esses recursos”, diz o secretário. O pleito será feito, pessoalmente e por ofício, ao ministro dos Transportes, Mauricio Quintella, e ao secretário especial Adalberto Santos Vasconcelos, gestor do Programa de Parceiras de Investimentos, onde tramitará o pedido.

Confira detalhes do assunto na reportagem de Paulo Silber, da Agência Pará, no endereço: http://agenciapara.com.br/Noticia/158023/para-se-mobiliza-para-que-recursos-da-ferrovia-de-carajas-nao-saiam-do-estado.